MTV Brasil lança versão de “Are You the One?”: “é uma experiência antropológica”

Por Natália Eiras , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

O reality show de namoro americano se tornou sucesso ao mostrar competição para encontrar seu par perfeito. “Eles não sabem se jogam ou se acreditam no coração”, diz diretor

São vinte homens e mulheres solteiras confinados dentro de uma casa e o grande objetivo é encontrar o seu par perfeito. “Are You The One?”, reality show cuja versão brasileira entreia na MTV no dia 1º de fevereiro, tem a premissa de uma simples competição de namoro, mas com uma dinâmica completamente diferente.

LEIA MAIS - MC Guimê: “Mesmo que a classe A não respeite, eles vão ter que engolir”
Série sobre a Boca do Lixo da HBO terá “uma pegada mais quente que o Mad Men”

Versão brasileira do reality
Divulgação
Versão brasileira do reality "Are You The One?" estreia na MTV no dia 1º de fevereiro

Cada um dos participantes é o “match” ideal do outro e eles têm 10 chances para encontrá-lo e faturar R$ 500 mil. “É quase uma experiência antropológica”, comentou, em entrevista coletiva nesta terça-feira (27), Elisabetta Zenatti, diretora da produtora Floresta, responsável pela atração. A série original foi uma das maiores audiências da MTV americana, no último ano.

Ao contrário de “The Bachelor” ou “Big Brother Brasil”, não existe apenas um vencedor, mas 20. É que o prêmio só sai se todos os participantes encontrarem seus pares ideais. E para chegar a estas duplas românticas teoricamente perfeitas foram preciso muitas horas de combinações e “de post-its”.

Felipe Titto é o apresentador do reality show
Divulgação
Felipe Titto é o apresentador do reality show

“Foram três meses de casting e matchmaking”, diz Elisabetta. “Um time de psicólogos entrevistou os competidores e parte deste formulário foi jogado em um software de match”, explica Cacá Marcondes, diretor do programa.

Caso uma menina ou menino combinasse com várias pessoas ao mesmo tempo, ele ou ela era desclassificado. “A gente precisava com o match fosse bastante forte e nenhum pouco previsível, se não eles entendiam o jogo em dois dias”, ri Elisabetta.

O resultado desta fórmula matemática é, segundo os participantes do reality show, um eterno embate entre a razão e a emoção. “Você chega lá meio blindado, querendo o dinheiro, mas o ser humano é afetivo, né? Aí afinidade rolou e foi legal”, conta o estudante de direito Igor Freitas. “Este é o conflito que estoura e se torna a gasolina do programa”, complementa Tiago Worcman, vice-presidente de programação e conteúdo da MTV.

Além do “jogo social”, “Are You The One?” também tem uma faceta game. “Rolam provas em que os vencedores ganham passeios para ficar a sós com o seu suposto par”, fala Cacá. “Além da cabine da verdade, onde um casal por episódio entra e descobre se são compatíveis ou incompatíveis”. Há, ainda, a cerimônia dos pares, onde os competidores “registram” as pessoas que eles acham que são sua metade e holofotes mostram quantos matches deram certo. “Nessas atividades, eles conseguem informações e desinformações”, esclarece Tiago.

Os episódios foram gravados em novembro e dezembro do ano passado. Foto: Divulgação20 solteiros são confinados em uma casa do Rio de Janeiro e precisam encontrar seu par ideal. Foto: DivulgaçãoEles tem dez chances para encontrar os seus matches e ganhar R$ 500 mil. Foto: DivulgaçãoProdução passou 3 meses fazendo casting e combinações entre participantes. Foto: Divulgação

Apresentados pelo ator Felipe Titto, os dez episódios do programa foram gravados entre novembro e dezembro do ano passado, no Rio de Janeiro. O período de produção demorou quase dois meses por causa de imprevistos como a troca da casa onde os participantes ficavam confinados. “Os vizinhos não aguentaram o barulho que essa galera animada fazia”, esclarece Tiago, rindo.

Cheio de pegação e muito álcool, o reality show é uma festa frequente. Nestes momentos, os casaizinhos corriam para debaixo do edredom. “Mas o importante não é o edredom, mas o que acontece embaixo dele”, faz piada Igor. Questionado se rolou mesmo sexo, ele é evasivo: “Dizem que sim”. Apesar de ser inerentemente sexy, o programa não deve ter, de acordo com Tiago, apenas este enfoque. “A gente trata o sexo como parte de um relacionamento, afinal, ele é um termômetro de como anda a relação”, conta o vice-presidente. “A gente não vai explorar isso”. “Mas fiquem sabendo que há performances invejáveis”, continua Felipe Titto.

Siga as redes sociais do ON:

Curta a página do ON no Facebook

Acompanhe o ON no Google+

Siga o ON no Twitter

Leia tudo sobre: mtv

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas