Modelo encarna o galã de '50 Tons de Cinza' em noite do Clube das Mulheres de SP

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Na expectativa pelo filme, evento realiza "jantar com Christian Grey", com direito a perguntas eróticas e sessão de fotos

A música é uma versão lenta e sexy de "Crazy in Love", de Beyoncé. Por trás de uma tela, a sombra de um homem arrumando a gravata provoca alguns gritos. Ele aparece no palco, vestindo terno cinza e carregando uma maleta. Caminha até o fim de uma passarela, observado atentamente por cerca de 80 mulheres. Puxa uma cadeira, se senta, põe a maleta no colo e tira o que provavelmente seja o item erótico mais popular dos últimos anos: um exemplar de "Cinquenta Tons de Cinza".

Veja o vídeo e a entrevista com o Christian Grey do Clube das Mulheres:

Ele é Christian Grey - ou, pelo menos, o Christian Grey do Clube das Mulheres de São Paulo, que todas as semanas faz shows inspirados no personagem adepto do sadomasoquismo que está nas páginas dos livros de E.L. James. Com mais de 100 milhões de cópias vendidas no mundo, a trilogia deve viver um novo pico de popularidade a partir da semana que vem, com a estreia global da versão para o cinema.

Atento ao potencial do filme, o Clube das Mulheres realizou, na quarta-feira (4), um "jantar com Christian Grey", prometendo às fãs do personagem um show mais longo e "exclusivo" do que o normal, com perguntas eróticas e sessão de fotos. O preço da exclusividade: R$ 160 reais, com direito à mesa, canapés, risoto, massa e sobremesa.

"Cinquenta Tons de Cinza" chegou ao Clube das Mulheres em 2013, quando os livros já batiam recordes de venda e os sócios Focca Barreto e Marcos Manzano, donos da casa fundada há 25 anos, buscavam novos personagens (anos antes, um "rapaz da Swat com farda do Bope" tinha sido incorporado para pegar carona no sucesso de "Tropa de Elite"). Os rumores de que os livros seriam adaptados para o cinema eram especialmente interessantes.

Imagem da noite Clube das Mulheres com modelo que imita Christian Grey. Foto: Felipe Santiago/iGImagem da noite Clube das Mulheres com modelo que imita Christian Grey. Foto: Felipe Santiago/iGImagem da noite Clube das Mulheres com modelo que imita Christian Grey. Foto: Felipe Santiago/iGImagem da noite Clube das Mulheres com modelo que imita Christian Grey. Foto: Felipe Santiago/iGImagem da noite Clube das Mulheres com modelo que imita Christian Grey. Foto: Felipe Santiago/iGO modelo Bruno Camargo, que se apresenta como Christian Grey. Foto: Felipe Santiago/iGImagem da noite Clube das Mulheres com modelo que imita Christian Grey. Foto: Felipe Santiago/iG

"A gente tinha certeza de que quando surgisse o filme, ia surgir mídia. E a gente já ia estar na frente", afirma Barreto, em entrevista ao iG. "Nossa ideia é aparecer na mídia. Fazer propaganda do Clube das Mulheres, não do Christian Grey."

Ele também está interessado em um novo público que pode surgir a partir do filme. "No Brasil, não é a maioria das mulheres que leem", avalia Barreto, um pouco sem graça ao admitir que ele próprio não leu a trilogia. "Mas sei praticamente a historia inteira", garante.

"Christian Grey brasileiro"

Com informações de "amigas que leram e passaram o que sentiram", os sócios começaram a buscar um homem "muito bonito e com pegada" que pudesse encarnar Christian Grey. Com testes e indicações chegaram a Bruno Camargo, que então trabalhava como modelo, personal trainer e ostentava títulos como Miss Fitness Brasil.

Em dois anos ele se firmou como uma das principais atrações do Clube das Mulheres e hoje cobra em média R$ 3,5 mil para se apresentar em festas de despedida de solteira, eventos fechados e fazer "presença VIP". Por causa do filme, conta, está com a agenda fechada até metade do mês de abril.

Jamie Dornan como Christian Grey em '50 Tons de Cinza'
Divulgação
Jamie Dornan como Christian Grey em '50 Tons de Cinza'

Afora a idade (27 anos) e o fato de ser alto (1,82 cm), Camargo não se encaixa muito na descrição que James faz de Grey. O cabelo é mais preto do que acobreado; os olhos são castanhos, e não cinzentos; e a enorme tatuagem de tubarão no peito jamais se adequaria aos padrões estéticos do milionário (o próprio modelo, aliás, se arrepende do desenho). 

As semelhanças são menores ainda com o ator Jamie Dornan, escolhido para protagonizar o filme. Mas Camargo diz que seu espelho é o livro, e que não pretende mudar o visual para se parecer mais com o rosto "oficial" do personagem. 

"Jamais vou cortar o cabelo igual ao dele ou coisa do tipo, porque tenho meu jeito e esse jeito não vou mudar. Eu sou assim: o Christian Grey brasileiro", afirma. Questionado sobre o que tem em comum com o personagem, ele responde: "Gosto de coisas boas, estou sempre procurando me arrumar bem, uso um perfume legal, um relógio bom. Não é o patamar dele, claro, mas gosto disso."

Casado, o modelo afirma que a situação mais inusitada que viveu no palco foi ouvir uma mulher pedir para chupar seu dedão do pé. Ele deixou. 

Valsa e chicote

O jantar do Clube das Mulheres, localizado na Vila Olímpia, aconteceu em um salão escuro, com um bar de um lado e uma parede espelhada do outro. Mesas de até quatro lugares enfeitadas com uma rosa circundavam a passarela e garçons musculosos e sem camisa serviam as mulheres, a maioria jovem e arrumada, com salto alto e maquiagem.

Cerca de duas horas se passaram entre a chegada do público e o início do show, um período preenchido pelo jantar, selfies e fotos de brindes. Composta por canções e artistas citados no livro, a trilha sonora era peculiar: afora "Toxic", de Britney Spears, a maioria das músicas era de fim de festa ou até fossa, no nível Coldplay e Damien Rice, de modo que Frank Sinatra e Ella Fitzgerald pareciam animação total em comparação.

O show começou com cara de festa de debutante, com Camargo (ou Grey) tirando cerca de 15 meninas para dançar "Danúbio Azul", de Richard Strauss, sempre dando as coordenadas: "isso, isso", "dá beijinho", "dá uma voltinha", "dança bem essa aqui", "vem cá, mulher".

Capa da edição inglesa de
Getty Images
Capa da edição inglesa de "Cinquenta Tons de Cinza"

No palco, ele volta a chamar uma garota atrás da outra: uma tira seu casaco, a outra puxa a calça; uma recebe um puxão de cabelo, a outra tem de se ajoelhar; algumas dançam coladinho, outras são amordaçadas, vendadas e levam golpes (leves) de chicote. "Foi muito bom", disse uma das chicoteadas com quem o iG conversou. Bancária de 26 anos, ela não quis se identificar porque o namorado não sabe que ela frequenta o clube há dois anos. "As fotos que eu tiro ficam no arquivo confidencial da vida."

Durante a apresentação a trilha sonora segue peculiar: do clássico "You Can Leave Your Hat On" a Pearl Jam, de Ed Sheeran a System of a Down. As mulheres acompanham surpreendentemente comportadas (clientes e funcionários disseram que o clima "formal" do jantar diminuiu os decibéis consideravelmente), com apenas alguns celulares à vista.

O show dura cerca de 20 minutos e termina com Camargo de cueca - o clube não permite nudez, e o máximo de exposição que se viu foi a de uma jovem chamada ao palco e traída pelo vestido curto. As garotas ganham o direito de fazer três perguntas ao modelo, e uma escolhe bem as palavras para questionar se durante o show ele sente..."Tesão?", completa o modelo, antes de responder um surpreendente, sincero e constrangedor: "Não".

Dakota Johnson e Jamie Dornan, estrelas do filme 'Cinquenta Tons de Cinza', apresentam prêmio no Globo de Ouro
AP
Dakota Johnson e Jamie Dornan, estrelas do filme 'Cinquenta Tons de Cinza', apresentam prêmio no Globo de Ouro

Expectativa

Enquanto Camargo tira fotos com as fãs, o show habitual começa e um gladiador entra no palco (além deles e do "rapaz da Swat", o clube tem um almirante, um "rapaz da manutenção", um cowboy, um jogador de pólo e o Batman).

Uma das primeiras a tirar foto é a psicóloga Alessandra Pirilo, 41 anos, levada ao clube pela sobrinha, a advogada Daniele Meneses, 23 anos. A jovem conheceu Camargo por um amigo em comum e achou a performance tão boa que resolveu ler a trilogia.

Ansiosa pelo filme, Daniele faz pouco de Jamie Dornan. "Cada vez que ela [a autora do livro] falava Christian Grey já vinha a imagem do Bruno na minha cabeça. O Christian Grey é ele", disse.

Animada, Alessandra disse que a foto ia para o Instragram ("estou solteira", justificou) e arriscou dizer porque o personagem faz tanto sucesso. "Apesar de dominador, ele é muito cativante. Acho que toda mulher quer um Christian Grey."

Barreto acredita que o livro faz o mesmo que seu clube: apela para a magia de as mulheres sonharem com o que não têm. "Junte-se a isso o cara dos sonhos, lindo, milionário...A maioria das pessoas trabalha a semana inteira, tem um marido chato pra caramba, um namoradinho que não faz nada ou que é cafajeste demais. Aí vê aquele cara que faz um monte de coisa que talvez ela nem queira fazer, mas começa a sonhar."

Solteira e frequentadora do clube desde o ano passado, a administradora de empresas Luana não leu o livro, mas já tem ingresso comprado para o filme. "O que vi aqui já me instigou muito. Acho que vai ser uma coisa muito excitante", afirma, antes de amiga comentar ter ouvido falar que alguns cinemas, por prevenção, vão colocar plásticos nas cadeiras.

Sem querer estragar a festa, o iG pergunta se elas não acham que o filme pode ter suavizado o tom para não receber censura muito alta (no Brasil, será de 16 anos), e se isso não vai decepcioná-las. Luana descarta tal possibilidade. "Se for mais leve é porque vai ser romântico. E eu gosto disso também."

Siga as redes sociais do ON:

Curta a página do ON no Facebook

Acompanhe o ON no Google+

Siga o ON no Twitter

Leia tudo sobre: cinquenta tons de cinzachristian greycinemasexo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas