Com Jennifer Lopez, "O Garoto da Casa ao Lado" é suspense da pior qualidade

Por Luísa Pécora , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Atriz interpreta professora que se envolve com jovem vizinho em thriller erótico do diretor Rob Cohen

A despeito de ser uma inegável estrela de Hollywood, Jennifer Lopez não é exatamente conhecida pela qualidade dos filmes que estrelou. Do drama "Nunca Mais" às comédias românticas como "Plano B", passando pela infame parceria com o ex Ben Affleck em "Contato de Risco", boas escolhas nunca foram o forte de "Jenny from the block".

Vídeo: Atores de "O Garoto da Casa ao Lado" falam sobre relacionamentos

Mas nem tal histórico explica o que a fez topar ser a protagonista - e, pior, assumir a produção - de "O Garoto da Casa ao Lado", suspense que chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (26) como forte candidato à lista dos piores filmes do ano.

Imagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'. Foto: Divulgação

Cachê milionário? Não parece ter sido o caso, já que o orçamento total do filme ficou na casa dos US$ 4 milhões (R$ 12,5 milhões). Diretor consagrado? Também não: Rob Cohen fez sucesso com "Velozes e Furiosos" e "Triplo X", mas está longe de ser considerado um grande nome do cinema americano.

Foi Cohen quem idealizou "O Garoto da Casa ao Lado" como um herdeiro dos thrillers eróticos que fizeram sucesso no final dos anos 1980, início dos 1990. O diretor escalou os corpos quentes de JLo e do novato Ryan Guzman (da série "Pretty Little Liars") para contar uma história de obsessão típica do século 21, com câmeras escondidas e gravações comprometedoras que podem se tornar públicas com apenas um clique.

Imagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'
Divulgação
Imagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'

Lopez interpreta Claire Peterson, professora de literatura clássica que dá aulas no mesmo colégio do filho adolescente, Kevin (Ian Nelson). Separada do marido após descobrir uma traição, Claire tenta seguir em frente e ajudar o garoto, que é vítima de bullying.

Tudo o que os Petersons precisam está na casa ao lado: Noah Sandborn (Guzman), jovem aparentemente perfeito que cuida do tio doente, vira figura paterna para Kevin e quebrador de galhos para Claire. Além de fazer consertos domésticos e entender tudo sobre carros, Noah também é um apaixonado por literatura clássica e seu autor favorito é - veja só - Homero, justamente o tema das aulas da vizinha.

Diante desse misto de corpo sarado e alma sensível, Claire não consegue evitar a atração. Primeiro, eles apenas trocam olhares pela janela (ele nu, ela de camisola colada ao corpo). Mas certa noite, após algumas taças de vinho e um encontro fracassado, Claire se entrega. Quando, na manhã seguinte, tenta explicar que a brincadeira tem de acabar ali, o vizinho perfeito se transforma em perseguidor violento.

Filmes de suspense devem causar tensão, expectativa, surpresa. "O Garoto da Casa ao Lado" oferece alguns (poucos) sustos, mas, em geral, é um festival de previsibilidade. Alguém diz à professora que há um vazamento no banheiro da escola e você imagina quem estará esperando. Noah olha para o carro do ex-marido de Claire e dá para apostar no que vai acontecer. O pai deixa o filho assumir o volante e, pronto, basta esperar pelo inevitável.

Imagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'
Divulgação
Imagem do filme 'O Garoto da Casa ao Lado'

À previsibilidade do roteiro somam-se diálogos que vão da obviedade ao mau gosto. Uma das falas mais comentadas na internet é a resposta de Noah quando Kevin lhe oferece biscoitos feitos por Claire: "Adoro os cookies da sua mãe." 

Em outra cena, a professora tenta conversar enquanto o vizinho treina boxe. "Estou ocupado com educação física", ele justifica. "Acredito que você conhece bem essa matéria." E o meu diálogo favorito: "Vá se f...", diz Claire. "Prefiro f... você", responde Noah.

Talvez ator nenhum fosse capaz de salvar um filme com diálogos desse nível, e Lopez certamente não é. Mas ela parece uma Meryl Streep se comparada a Guzman, cujos olhares e sorrisos ameaçadores estão entre as visões menos convincentes de que se têm notícia.

O pacote se completa com as fracassadas tentativas de se criar clima: tomadas que sugerem que a casa está sendo observada, câmera na mão e música tensa, tudo da mais baixa qualidade. Fosse um filme B de verdade, talvez "O Garoto da Casa ao Lado" conseguisse divertir. Infelizmente, aqui, o tosco é para ser levado a sério.

Veja o trailer de "O Garoto da Casa ao Lado":

Siga as redes sociais do ON:

Curta a página do ON no Facebook

Acompanhe o ON no Google+

Siga o ON no Twitter

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas